Blog

Driblando a ansiedade para não engordar.

25/05/2017

Abrir a geladeira ou o pacotinho de alguma coisa gostosa que deixamos à mão, em geral doce, numa atitude quase automática em busca de conforto quando estamos ansiosos leva a um resultado quase inevitável: alguns quilos a mais.

Com o estilo de vida apressado, especialmente nas grandes cidades, as muitas tarefas e as tantas preocupações, vivemos quase que em permanente estado de ansiedade. Consequentemente tendemos a estar do lado de lá de nosso peso ideal, mas como podemos dar conta da ansiedade sem uma deliciosa barra de chocolate?

Tomar consciência do que está acontecendo no seu corpo pode ser um primeiro e importante passo!

Bateu aquela vontade de comer, pergunte-se: fome ou vontade de comer?

Ter na manga aquele rol de estratégias para sacar uma, é sempre útil, como: ligar para alguém para uma conversa gostosa, dar uma pausa para um cafezinho ou um chá, mudar o foco da atenção direcionando-a a algo muito interessante, dar uma volta ao ar livre, fazer uma sequencia de respirações profundas e relaxantes.

Mas não vamos nos iludir, aquela vontade de comer um doce não vai sumir definitivamente de uma  hora para a outra. O importante é exercitar a escolha consciente e programar-se para estes momentos:

-Geladeira, gaveta do escritório e bolsa ou bolsos moderados;

-Reduzir gradualmente o tamanho da porção das indulgencias, até chegar a mini porções;

-Saborear com a máxima atenção para saciar-se com menos;

-Escolher alimentos de sabor doce que não possuem muita gordura (creme de leite, gordura vegetal hidrogenada, leite integral) ou outras calorias agregadas. Algumas sugestões:

  • Doces caseiros (abóbora, goiaba, banana, figo, pêssego)
  • Damascos ou tâmaras
  • Gelatina
  • Iogurte natural semidesnatado, ou fatia de queijo branco com cobertura de geleia de frutas
  • Fruta assada com canela e um fio de mel
  • Chocolate com 70% de cacau
  • Picolé de frutas

Reduzindo pouco a pouco a quantidade de açúcar, o paladar se acostuma a agrados menos doces e calóricos. Experimente e constate como funciona!

Com o outono e o inverno chegam as gripes – um bom momento para pensar em emagrecer com saúde.

25/05/2017

As dietas restritivas, com consumo muito baixo de calorias ou que excluem alimentos e sugerem excesso de consumo de outros, dificilmente proporcionam tudo que precisamos. Nesta condição o sistema imunológico pode ficar debilitado e não cumprir a sua missão de defesa no combate a microorganismos invasores, e  “limpeza” do organismo.

Se o momento pede cuidados e prevenção e você está em um processo de perda de peso, a hora é de pensar em emagrecer com saúde. Mas, o que é emagrecer com saúde?

Se tivéssemos que responder esta pergunta com uma única palavra, seria DIVERSIDADE.

Para manter-se saudável e equilibrado, nosso corpo necessita de nutrientes para executar bem todas as suas funções. A lista de nutrientes é vasta. Acredite! Mais de 100 identificados e relacionados a funções importantes, por isto, quanto mais diversificada a alimentação, maiores as chances de nos abastecermos de tudo que precisamos.

Alimentar-se seria uma atividade complexa se tivéssemos que pensar em todos estes nutrientes a cada refeição, por esta razão surgiram as classificações dos alimentos em grupos e as recomendações de quantas porções consumir de cada grupo por dia.

Recentemente, para tornar a escolha diária ainda mais simples, alguns estudos separaram os grupos entre saudáveis e de moderação, este último, composto por alimentos que se consumidos em excesso trazem risco à saúde, e que portanto, precisam ter sua quantidade limitada.  O aplicativo Nutrabem 2.0 te ajuda a fazer escolhas mais saudáveis avaliando o seu consumo por grupo de alimentos.

Inspire-se em boas medidas para escolhas alimentares saudáveis e observe outros dois aspectos que favorecem a resposta imunológica: dormir bem e controlar o stress. Cuide-se bem!

Iogurtes, esta escolha merece atenção!

25/05/2017

A variedade de iogurtes nas gondôlas dos mercados é tanta que podemos dispender bastante  tempo na escolha ou ao contrário, para simplificar, acabar optando sempre pelos mesmos.

Ter alternativas é sempre bom, mas neste caso, apesar de tanta diversidade, a maioria deles tem conteúdo semelhante e distante do que é originalmente  um iogurte: leite e fermento lácteo.

Com o objetivo de se diferenciar dos concorrentes, inovar, tornar o paladar e a textura muito agradáveis e prolongar a conservação, as indústrias adicionam quantidades excessivas de açúcar,  adoçantes e aditivos artificiais. As frutas mencionadas em geral não são frutas mas sim caldas açucaradas. Muitas vezes o teor de gorduras saturadas também é elevado.

Por esta razão, uma boa alternativa é optar pelo iogurte que atualmente chamamos de natural e é o que de fato contém apenas leite e fermento lácteo.

Além de consumir algo mais próximo do que seria feito em casa,  comprando um iogurte natural você poderá ter o prazer de customizar o seu iogurte conforme a vontade do momento, a partir das coisas boas que você tiver na despensa ou geladeira. Preparar o iogurte em casa também pode ser uma boa experiência se você tem este tempo e gosta de ir para a cozinha!

Se você não é verdadeiramente intolerante à lactose, 1 pote de iogurte natural preenche aproximadamente 30% das necessidades diárias de cálcio (condição para adulto saudável), uma boa alternativa para um café da manhã rápido, ou um lanche entre as refeições. As versões semi-desnatado ou desnatado auxiliam a manter um melhor equilíbrio do consumo de gorduras saturadas.

Recentemente, o responsável pelo desenvolvimento de produtos de um fabricante de iogurtes que estava lançando uma versão nova, me perguntou o que eu tinha achado da novidade, e respondi: se fosse 60% menos doce eu acho que começaria a ficar interessante. Ele argumentou: “mas aí as pessoas não vão comprar”.

Estas pessoas, que provavelmente não comprariam, somos nós, os consumidores, que a cada escolha que fazemos direcionamos o que estará exposto nas gôndolas num futuro próximo.

Vamos começar a colaborar com a redução gradual das quantidades de açúcar adicionados nos produtos industrializados?

Um pote de 170 g de iogurte desnatado de frutas contém em média 32,4 g de açúcar.

Isto é mais do que o consumo máximo diário de 25 g  recomendado pela Organização Mundial de Saúde (referência para dietas de 2000 kcal/dia).  Lembrando que comprar regularmente as versões “zero” ou “diet”, que contém adoçantes artificiais, não é uma boa opção para uma vida saudável – a menos que seja por recomendação médica.

Que tal experimentar “temperar”o seu iogurte natural para variar?

Deixamos aqui algumas saborosas alternativas além da granola e do mel. Elas ficam tão gostosas que podem suprir aquela vontade de uma indulgência no final da tarde ou à noite, e o melhor é que você poderá dosar o quanto de açúcar ou sabor doce quer consumir.

o   Geléias de frutas sem açúcar – existem versões interessantes disponíveis no mercado

o   Farofa das castanhas preferidas

o   Purê de  tâmaras ou  ameixas secas sem caroço – fáceis de fazer, deixando-as desmanchar na panela em fogo baixo com um pouquinho de água.

o   Maçã ou banana assadas (feitas rapidamente no microondas com açúcar mascavo, demerara ou um fio de mel), e mesmo as compotas de fruta, se você ainda quer um pouco mais de açúcar.

Reduzir aos poucos a preferência por alimentos muito doces só trará vantagens em longo prazo.

Receitinha com maçã: Corte uma maçã em pedaços, sem casca e caroço, regue com uma colher de mel e leve ao microondas por 4 minutos. Retire, coloque sobre o iogurte e polvilhe canela.  Fácil e rápido!

Como está a sua Satisfação? Ela tem muito a ver com o seu peso.

19/05/2017

Possivelmente você já notou quanto as emoções interferem no nosso apetite. Por conta delas podemos nos sentir famintos ou totalmente sem apetite.

É comum preenchermos os vazios da mente, da alma ou do coração com comida e aí caímos na armadilha:

Ganho de peso à regime > à insatisfação > à desejo de comida > à culpa > à  mais vontade de comer > à fracasso no regime > à insatisfação ……uma trajetória que parece sem data para terminar.

Isto porque em geral, não se leva em conta que a busca por satisfação é um mecanismo natural do cérebro, o que equivale a dizer que regime com sacrifício e privação anda na contramão, gera conflito e produz tristeza, o que só complica a situação.

Como está a sua satisfação?

Se ela está baixa, que tal começar incluindo atividades prazerosas na sua rotina?

Não é preciso esperar que a vida esteja como sonhamos para nos sentirmos mais felizes. Fazer coisas gostosas, que relaxam e canalizam a atenção são caminhos compensatórios que podem nos conquistar tanto quanto as doces delícias.

As possibilidades para incluí-las na rotina são muitas. Há opções disponíveis para todos os gostos e bolsos.  Se elas envolverem ação no lugar de sedentarismo, o benefício é duplo. Vamos escolher uma para começar? Por exemplo:

. Esportes e movimento: nadar, andar de bicicleta, caminhar, dançar, praticar yoga,

. Hobby e Lazer – pintar, fotografar, ler, montar quebra-cabeça, ouvir música,

. Atividades do dia-a-dia  – cozinhar, organizar a casa, passear com o cachorro.

O importante é que seja algo que se goste.

Para perder peso é preciso se preencher, pois quando a mente está satisfeita o corpo naturalmente vai se reequilibrando e passa a desejar menos comida.

Sem açúcar e com afeto, fiz seu doce predileto.

19/05/2017

Sim, o açúcar é realmente um vilão e o dilema de viver com menos açucares com certeza esta presente na vida de muitos de nós.

Mas como conviver de forma tranquila com essa oferta de doces incríveis e sedutores que fazem parte das nossa tradição culinária e que o mercado disponibiliza?

A boa notícia é que há vida prazerosa, mesmo com pouco açúcar e sem excessos na sobremesa. A  mudança de paladar é sim possível, apesar do trajeto de desconstrução ser mais desafiante do que o caminho da construção, afinal, desde pequenos somos estimulados com os sabores dessa substância com densa caloria e escassa nutrição.

Uma boa estratégia é caminhar lentamente com reduções e substituições no dia-a-dia como uma colher a menos no cafezinho ou no chá e experimentar o sabor autêntico das frutas, elaborando sucos naturais sem adicionar açúcar ou adoçantes.

Nas sobremesas, por exemplo, os sucos cítricos, a laranja, as tangerinas , quando reduzidos ( fervidos a alta temperatura) conferem o sabor doce de forma natural e equilibrada.

E para inspirar, segue sem açúcar e com muito afeto a receita de Bananas com especiarias.

 

Bananas assadas ao perfume de laranja e especiarias

3 bananas nanicas cortadas ao meio ( no sentido do comprimento)

1 colher ( sopa) manteiga sem sal

1 xícara de suco de laranja natural

½  colher ( sopa ) do sumo do limão

½  colher (sopa) gengibre ralado

1 pitada de noz-moscada

½ colher ( café) de canela em pó

Modo de preparo:

Doure as bananas na manteiga por 2 minutos e agregue os demais ingredientes. Deixe apurar por 5 a 10 minutos em fogo brando.

Sirva em uma louça branca polvilhada com canela em pó e folhinhas de hortelã.

Pensar em como levar a comida à mesa faz toda diferença!

19/05/2017

Travessas simples, do dia-a-dia ou caprichadas para as visitas e eventos é a escolha mais usual quando se pensa em como apresentar a comida à mesa. Panela, por muito tempo não foi vista como elegante neste cenário até chegarem as belas panelas coloridas e de materiais especiais,que hoje frequentam as boas mesas. Mais recentemente, muitas embalagens descartáveis chegam do delivery ou são aquecidas no microondas vindas dos supermercados e lá estão. O que todas estas opções tem em comum é a possibilidade de se servir da quantidade desejada e de repetir até se saciar. Quando queremos agradar os convidados cae muito bem, pois a fartura é vista como um sinal de acolhimento e carinho. Mas quando o objetivo é saciar-se com porções controladas para atender às suas necessidades em uma dieta ou para manter-se no peso, a coisa muda.

Levar à mesa o prato feito pode ser a melhor opção neste caso e não tem nada de mal nisto se você valoriza uma mesa bem posta. Tudo depende de como fazer, até os grandes chefs apresentam assim as suas criações.

Isto evitará que você se sirva de mais um pouquinho disto ou daquilo de forma distraída enquanto conversa ou até que seu corpo se sinta saciado. O tempo médio para chegar a mensagem ao cérebro de que se consumiu o suficiente é de  20 minutos. Neste intervalo é possível já ter comido bem mais que o necessário.

Montar tudo em um prato de forma caprichada, ou abastecer-se de pequenos recipientes, que podem ser de vários materiais, cores, formatos e tamanhos, para conter a porção adequada de cada tipo de preparação são estratégias eficientes para o consumo na medida certa para você.

Combinar os recipientes de forma diferente ou compor pratos decorados a cada dia pode ser uma experiencia divertida e um exercício para a criatividade. Pratique!