Blog

Iogurtes, esta escolha merece atenção!

25/05/2017

A variedade de iogurtes nas gondôlas dos mercados é tanta que podemos dispender bastante  tempo na escolha ou ao contrário, para simplificar, acabar optando sempre pelos mesmos.

Ter alternativas é sempre bom, mas neste caso, apesar de tanta diversidade, a maioria deles tem conteúdo semelhante e distante do que é originalmente  um iogurte: leite e fermento lácteo.

Com o objetivo de se diferenciar dos concorrentes, inovar, tornar o paladar e a textura muito agradáveis e prolongar a conservação, as indústrias adicionam quantidades excessivas de açúcar,  adoçantes e aditivos artificiais. As frutas mencionadas em geral não são frutas mas sim caldas açucaradas. Muitas vezes o teor de gorduras saturadas também é elevado.

Por esta razão, uma boa alternativa é optar pelo iogurte que atualmente chamamos de natural e é o que de fato contém apenas leite e fermento lácteo.

Além de consumir algo mais próximo do que seria feito em casa,  comprando um iogurte natural você poderá ter o prazer de customizar o seu iogurte conforme a vontade do momento, a partir das coisas boas que você tiver na despensa ou geladeira. Preparar o iogurte em casa também pode ser uma boa experiência se você tem este tempo e gosta de ir para a cozinha!

Se você não é verdadeiramente intolerante à lactose, 1 pote de iogurte natural preenche aproximadamente 30% das necessidades diárias de cálcio (condição para adulto saudável), uma boa alternativa para um café da manhã rápido, ou um lanche entre as refeições. As versões semi-desnatado ou desnatado auxiliam a manter um melhor equilíbrio do consumo de gorduras saturadas.

Recentemente, o responsável pelo desenvolvimento de produtos de um fabricante de iogurtes que estava lançando uma versão nova, me perguntou o que eu tinha achado da novidade, e respondi: se fosse 60% menos doce eu acho que começaria a ficar interessante. Ele argumentou: “mas aí as pessoas não vão comprar”.

Estas pessoas, que provavelmente não comprariam, somos nós, os consumidores, que a cada escolha que fazemos direcionamos o que estará exposto nas gôndolas num futuro próximo.

Vamos começar a colaborar com a redução gradual das quantidades de açúcar adicionados nos produtos industrializados?

Um pote de 170 g de iogurte desnatado de frutas contém em média 32,4 g de açúcar.

Isto é mais do que o consumo máximo diário de 25 g  recomendado pela Organização Mundial de Saúde (referência para dietas de 2000 kcal/dia).  Lembrando que comprar regularmente as versões “zero” ou “diet”, que contém adoçantes artificiais, não é uma boa opção para uma vida saudável – a menos que seja por recomendação médica.

Que tal experimentar “temperar”o seu iogurte natural para variar?

Deixamos aqui algumas saborosas alternativas além da granola e do mel. Elas ficam tão gostosas que podem suprir aquela vontade de uma indulgência no final da tarde ou à noite, e o melhor é que você poderá dosar o quanto de açúcar ou sabor doce quer consumir.

o   Geléias de frutas sem açúcar – existem versões interessantes disponíveis no mercado

o   Farofa das castanhas preferidas

o   Purê de  tâmaras ou  ameixas secas sem caroço – fáceis de fazer, deixando-as desmanchar na panela em fogo baixo com um pouquinho de água.

o   Maçã ou banana assadas (feitas rapidamente no microondas com açúcar mascavo, demerara ou um fio de mel), e mesmo as compotas de fruta, se você ainda quer um pouco mais de açúcar.

Reduzir aos poucos a preferência por alimentos muito doces só trará vantagens em longo prazo.

Receitinha com maçã: Corte uma maçã em pedaços, sem casca e caroço, regue com uma colher de mel e leve ao microondas por 4 minutos. Retire, coloque sobre o iogurte e polvilhe canela.  Fácil e rápido!